Skip to content

Highlights | 3ª semana março

highlights da semana

Por Maristone Gomes


O que aconteceu de mais importante em tecnologia, inovação, investimento e pesquisa em saúde.

O número que queremos ver cair

Mais de 3 mil. O registro de mortos pela Covid-19 no Brasil segue batendo recordes a cada semana. Mais uma vez, atingimos o maior número de fatalidades desde o início da pandemia quando, na quinta-feira (18), chegamos a 3.149 vidas perdidas em um só dia. Mais informações.

O número que queremos ver subir

Dez milhões. Essa é a quantidade de brasileiros vacinados até o momento. Destes, 3,7 milhões já receberam a segunda dose. Os números são altos, mas a proporção ainda é baixa. Conseguimos imunizar apenas 4,9% da população do país. Seguimos torcendo para que a vacinação chegue a todos. Por enquanto, você já sabe: use máscara, saia apenas se necessário e mantenha o distanciamento adequado. Mais informações.

Investimentos

A principal notícia da semana

A novidade mais relevante em termos de investimento esta semana foi o crescimento da Stripe. A empresa de pagamentos digitais acabou de se tornar a startup mais valiosa do Vale do Silício e a segunda mais valiosa do mundo. O marco foi alcançado com o aporte recente de US$ 600 milhões. Com isso, o valor total da empresa passou a ser avaliado em US$ 95 bilhões. A Stripe superou a SpaceX (US$ 74 bilhões) e ficou atrás apenas do TikTok. A empresa chinesa é considerada a startup mais valiosa do mundo, com valor cotado em US$ 140 milhões. Mais informações.

Outros investimentos relevantes

Difícil competir com a Stripe, mas a Rock Health divulgou uma lista de empresas de tecnologia para a saúde que receberam investimentos importantes esta semana. A Cedar levantou US$ 200 milhões para se modernizar. A Paige, empresa de patologia digital, recebeu US$ 125 milhões, em uma rodada de negociações. A Health Recovery Solutions conquistou US$ 70 milhões para o desenvolvimento de produtos e infraestrutura. Já a 100 Plus, especializada em monitoramento remoto de pacientes, arrecadou US$ 25 milhões. Por fim, a CRIO, que desenvolve testes médicos, levantou US$ 3,5 milhões.

Investimentos também no Brasil 

A presidente do Grupo Sabin, Lídia Abdalla, anunciou a criação de um centro de saúde digital. A iniciativa tem um investimento inicial de R$ 5 milhões. Segundo a empresa, a solução vai oferecer serviços 100% online. Entre eles, acompanhamento do paciente, integração de dados, e atendimento por telemedicina.  Mais informações.

Aporte em fintech africana

A Kuda Technologies levantou US$25 milhões em uma negociação com a investidora Vala Ventures, comandada por Peter Thiel. Com sede na Nigéria, a fintech não pensa pequeno. O fundador da Kuda, Babs Ogundeyi, disse ao site TechCruch que pretende oferecer serviços bancários modernos a “todos os africanos do planeta, onde quer que eles estejam”.  Mais informações.

Robótica em alta mesmo

A revista Forbes divulgou esta semana um levantamento sobre investimentos em robótica durante a pandemia. Foram muitos! Nos últimos 12 meses empresas do setor receberam US$ 6,3 bilhões em aportes. Esse número é quase 50% maior que o do ano anterior, quando os investimentos foram de US$ 4,3 bilhões. Esse mercado está tão aquecido que, mês passado, a Locus Robotics tornou-se um unicórnio, ao levantar US$ 150 milhões e alcançar a avaliação de US$ 1 bilhão. Mais informações.

Pesquisa em Saúde

Uma notícia boa contra a Covid

Troquei a ordem das notícias aqui para começarmos este resumo falando de uma novidade muito boa. Já há alguns dias circula a informação de que o fármaco desenvolvido pela Vir Biotechnology e a GlaxoSmithKline (GSK) tem o potencial de reduzir em até 85% as mortes causadas pela Covid. As farmacêuticas aguardam a autorização das agências reguladoras para colocar a droga no mercado. Enquanto isso, a GSK trabalha também em uma vacina contra o coronavírus. O imunizante está na primeira fase de testes. Acesse mais informações.

E outra notícia boa contra a Covid

Outra novidade super importante neste momento é a união de forças de empresas farmacêuticas para impulsionar a produção da vacina contra a Covid. A BioNTech anunciou que vai se unir a outras 13 companhias do setor. No grupo estão grandes nomes como Novartis, Merck e Sanofi. A meta é produzir 2 bilhões de doses ainda este ano. Mais informações.

A vacinação brasileira se fortalece

Uma ótima notícia no cenário nacional foi a entrega das primeiras vacinas produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz). A instituição disponibilizou 1 milhão de doses esta semana e a previsão é que sejam fabricadas outras 3,8 milhões, até o fim de março. O lote da FioCruz estava atrasado, vocês lembram, por conta da demora na importação dos insumos necessários para a produção.  Mais informações.

Rumo à imunidade!

Colocando na balança a taxa de transmissão do vírus e os esforços de vacinação, quando alcançaremos a imunidade? Gonzalo Vecina, fundador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), calcula que, mantendo o ritmo atual, o Brasil chegará a um nível razoável de imunização em janeiro de 2022. Ele acha que o marco pode ser conquistado caso sejam positivas as negociações que estão ocorrendo atualmente para a aquisição de mais doses. Mais informações.

Enquanto isso, telemedicina

Enquanto a imunidade não vem, seguimos de vida a distância. As teleconsultas ganham cada vez mais espaço e devem permanecer em nossa rotina mesmo com o fim da pandemia. Segundo a FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar), 15 grupos de operadoras particulares integrantes da Federação realizaram 1,6 milhão de consultas remotas desde março do ano passado. Na saúde pública, 25 mil teleatendimentos foram feitos pelo SUS, entre maio e dezembro de 2020. Mais informações.

E mais telemedicina!

Continuando no tema do atendimento remoto, esta semana a Sharecare se uniu à Cia da Consulta para aumentar o alcance dos serviços de telemedicina. O novo serviço se chama Pronto Atendimento Digital e oferece consultas 24 horas, além da possibilidade de emitir digitalmente prescrições, atestados e pedidos de exames. Mais informações.

Apesar de tudo, há retração 

Já falamos muito por aqui sobre como as startups de saúde receberam investimentos recordes no ano passado. Como um todo, entretanto, o setor registrou também números negativos. Um boletim da Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde mostrou que a produção doméstica de insumos (como materiais para cirurgias) caiu 22% em 2020 e que a geração de novos empregos foi praticamente nula (0,1%).  Mais informações.

Temos um novo ministro da saúde

Encerrando nosso giro pelas notícias de saúde, devemos mencionar a chegada do novo ministro. Marcelo Queiroga irá substituir Eduardo Pazuello, que ficou no cargo de maio do ano passado até então. Queiroga é médico, tem mais de 30 anos de experiência na profissão e é presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Vamos torcer e cobrar! Mais informações.

Tecnologia e Inovação

Robô cirurgião 

Falamos na última semana sobre robôs programados para fazer exames. Desta vez, a notícia é sobre máquinas que realizam procedimentos cirúrgicos. O pólo de saúde Beneficência Portuguesa, em São Paulo, realizou a cirurgia de número 500 utilizando o robô Da Vinci XI. Em 2020, foram realizadas mais de 1 milhão de cirurgias robóticas ao redor do mundo. No Brasil, foram 15 mil. Mais informações.

Mais robôs!

Para promover a importância do distanciamento social, e também divulgar a marca, a telefônica T-Mobile da Holanda fez uma ação ousada. A campanha mostra uma mulher sendo tatuada a distância por um profissional comandando um robô remotamente pelo 5G. O vídeo completo detalha os bastidores, o trabalho de engenharia, do artista e da moça corajosa.  Mais informações.

Nestlé quer ser foodtech

Gigante e tradicional no setor de alimentos, a Nestlè está apostando em transformação digital. O foco é entender, cada vez melhor, os consumidores. Para a Nestlè, isso quer dizer um público de 40 milhões de pessoas. No ano passado, a empresa investiu R$ 3,8 milhões em inovação aberta no Brasil e ampliou o relacionamento com startups. Em 2021, o esforço continua, com iniciativas como gestão de dados em uma plataforma de e-commerce e uso de drones para monitoramento de fábricas. Leia mais.

E o Facebook quer lançar pulseira inteligente

Nesta quinta, o Facebook anunciou o plano da empresa de desenvolver uma “pulseira inteligente” que irá se conectar a óculos de realidade aumentada. A ideia é que o bracelete seja capaz de captar os movimentos das mãos e dos braços do usuário e transmita esses comandos para o ambiente virtual. Seria possível, por exemplo, digitar “no nada” e registrar o que foi escrito por meio da pulseira. A novidade ainda demora para se tornar realidade. A rede de Mark Zuckerberg informou que o plano é passar os próximos dez anos desenvolvendo a solução.  Mais informações.

Os olhos da cara

Está em testes da Rússia um sistema que habilita pagamento de compras por reconhecimento facial. O cadastro dos dados biométricos é feito anteriormente no banco, depois, é só escanear o rosto na loja que a conta vai para o seu cartão de crédito. A promessa por lá é que o método estará disponível em 3 mil pontos até o fim do ano.

Está faltando chip no mercado!

Um efeito talvez inesperado da pandemia é a escassez de chips, o que está causando problemas para indústrias em vários países. De montadoras de carros a fabricantes de celulares, muitas empresas precisam de semicondutores nas suas operações. A falta do produto foi ocasionada pela alta demanda por produtos eletrônicos, motivada pelo trabalho em casa e outras atividades remotas. Estamos suando para garantir componentes para nossos equipamentos. Mais informações.

Novidades Científicas

O brasileiro está mais interessado em ciência

A agência de jornalismo de dados, Núcleo, analisou informações do Twitter e percebeu que contas que falam sobre ciência e saúde tiveram picos de acessos e engajamento no último ano. Nem precisa dizer que a pandemia foi o principal motivo para o interesse, não é? Entre os perfis recordistas em crescimento estão o da jornalista Mariana Varella, que comanda a redação do site do médico Dráuzio Varella. Mais informações.

Biscoitinho de Plutão!

E para você que também se interessa por notícias de ciências, vamos terminar o resumo desta semana com uma novidade bem curiosa. Desde 2017, astrônomos estudavam um objeto interestelar que havia passado pertinho da Terra naquele ano. O “visitante” era estranho, se parecia com asteroide mas agia como cometa. Esta semana, saíram os resultados. Os pesquisadores informaram que o objeto é formado de nitrogênio congelado, uma composição parecida com Plutão. Seu formato também foi uma surpresa. Os cientistas achavam, inicialmente, que ele tinha forma de charuto, mas descobriram que, na verdade, ele se parece mais com um biscoito. ; ) Mais informações.

Se tiver faltando algo, deixe um comentário e aproveite para compartilhar também a sua opinião.

Um excelente final de semana e até a próxima sexta-feira. Vamos juntos!

Acompanhe o nosso CEO no LinkedIn para não perder as notícias da semana!

Deixe seu comentário: