Skip to content
INSCREVA-SE

Uso do Blockchain na Saúde

A tecnologia blockchain tem estado nos últimos dois anos no top trend da internet, a grande maioria dos influenciadores de tecnologia do mundo acredita que o Blockchain pode revolucionar não apenas o mercado financeiro, mas também o mercado de Logística, Varejo, Seguros, Manufatura e outros.

O que é Blockchain?

Para entender o Blockchain, podemos imaginar um livro razão, onde é registrado todas as transações realizada numa rede de bloco, onde cada transação representa um bloco que contendo as informações. As informações são validadas a partir de um cálculo matemático (hash) pelos nó da rede. Os blocos válidos são distribuídos por todos os nó da rede que armazena uma cópia do Blockchain contendo todos os registros das transações realizadas.

O primeiro caso de sucesso da implementação do Blockchain é o Bitcoin. Vamos analisar o mercado financeiro convencional que vai nos ajudar a entender essa tecnologia.

Os bancos são as instituições financeira que garante a movimentação de valores de uma conta para a outra, quando Maria quer transferir R$ 200,00 para José, O Banco precisa verificar se Maria tem o saldo disponível, caso sim, Maria pode transferir o valor para José, e o banco precisa debitar R$ 200,00 de conta de Maria e Creditar o mesmo valor na conta de José. Inúmeras transações são feitas diariamente e os bancos precisa saber exatamente a origem e o destino do dinheiro. Bem complexo, né? O banco tem um papel de intermediário e centralizador dessa informações.

O Blockchain é um tecnologia que oferece uma maneira de realizar transações sem existência de um Banco (Intermediário) e ter o registro de todas as transações feitas de maneira descentralizada e íntegra.

A Tecnologia Blockchain tem 5 príncipios:

  1. Banco de dados distribuido;
  2. Transmissão Ponto a Ponto;
  3. Transparência;
  4. Inviolável;
  5. Lógica Computacional.

Como o Blockchain pode ajudar a Saúde?

Um problema comum enfrentado por sistemas de saúde em todo o mundo é prover e armazenar um histórico de saúde do paciente e torná-lo acessível a qualquer momento. Atualmente os dados médicos estão fragmentados entre hospitais, clínicas, centro de diagnósticos e outros diversos provedores de saúde.

O Prontuário eletrônico do Paciente (PEP) ofertado por diversos EHR/EMR (Electronic Hospital Record e Electronic Medical Record) deveria empoderar o paciente, porém anos depois de implementação de vários PEP o paciente continua sem acesso ao seu prontuário eletrônico.

Você por exemplo, tem algum histórico médico dos seus últimos 5 anos?

O Blockchain pode possibilitar a infraestrutura necessária para armazenar de forma segura os dados médicos de todos os pacientes e além disso formar uma grande base de dados que possibilita novos estudos clínicos, análise de efeitos colaterais e novas descobertas.

Acredito que as duas vantagens mais importante para mudar o cenário de saúde mundial que Blockchain pode oferecer é:

Interoperabilidade

O blockchain pode prover um certo grau de interoperabilidade, possibilitando que vários provedores de saúde possa inserir e consultar dados na rede blockchain, como se fosse um banco de dados único. Tente imaginar vários provedores de saúde gerando exames, tratamentos, diagnósticos, receitas e etc, onde cada provedor possui sua infraestrutura de tecnologia, desenvolver uma aplicação onde seja possível interagir com todos esses provedores é um tarefa bem complexa e o Blockchain pode resolver.

Segurança

Armazenar todos os dados de saúde em um único lugar requer um altíssimo nível de segurança, respeitando os princípios de confidencialidade, integridade, disponibilidade e autenticidade. A estrutura da rede Blockchain fornece um alto nível de segurança, onde cada transação realizada precisa ser validada através de um algoritmo matemático que impossibilitando a alteração de qualquer transação já concluída e permite que os usuários compartilhe informações com outros usuários de rede.

Texto original em: https://medium.com/@caiocesarb

Blog comments